3 anos depois de começar, o que foi feito e o que falta fazer na Travessia Urbana

O colunista do Diário Deni Zolin vem acompanhando a obra de duplicação dos 14,5 km da BRs da Travessia Urbana de Santa Maria desde o início, em 16 de dezembro de 2014. A obra completou 44 meses atingindo um total de 62% dos trabalhos concluídos, com R$ 188 milhões já gastos - dos R$ 309 milhões previstos inicialmente. A duplicação, que já chegou a contar com 300 trabalhadores, está atualmente com 100 operários, segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. É que os trabalhos estão mais focados nos viadutos, que consomem mais verbas, que andam escassas, abaixo do volume necessário.

Para este ano, dos R$ 48 milhões previstos no orçamento, R$ 38 milhões foram usados e as empresas estão no aguardo de R$ 10 milhões restantes, que são insuficientes para tocar a obra até dezembro. Por isso, segue a pressão por verbas adicionais para este ano e por mais recursos para 2019 no Orçamento. A obra, prevista inicialmente para ter ficado pronta até dezembro de 2017, é estimada para acabar em 2020, segundo o Dnit.

A SITUAÇÃO DE CADA TRECHO

No lote 1, do Castelinho até a lombada eletrônica após o Trevo da Uglione, já foram investidos R$ 86 milhões, tendo sido executados 61% dos trabalhos. Nesse trecho, já foi concluído e liberado o viaduto do Castelinho e estão em fase final os viadutos do Cerrito, da estação rodoviária e da Duque, que devem ser liberados ao trânsito até o final deste ano, a depender dos repasses de verbas. Boa parte da iluminação já foi acesa: do Castelinho até a Duque, e começaram a ser feitas as ruas laterais que servirão de desvio para o início da maior obra da travessia, que serão os viadutos do trevo da Uglione, orçados em R$ 51 milhões. O início desses viadutos na Uglione dependerá das verbas previstas no Orçamento de 2019.

Já no lote 2, entre a lombada depois da Uglione e a ponte do Arroio Taquara, perto da Ulbra, já foram gastos R$ 102 milhões, tendo sido executados 62% dos serviços. Nesse trecho, já estão prontas as novas pontes dos arroios Taquara e Ferreira, ainda não liberadas ao trânsito, e a passagem inferior de acesso ao novo shopping, já em uso. Os viadutos da Tancredo Neves e do início da Faixa de Rosário (foto) estão mais adiantados e, se houver verbas, até o final do ano podem ser liberados ao trânsito, nem que seja em uma das pistas. Também está em obras o viaduto da Santa Marta e faltarão também as passagens inferiores da Rua Capitão Vasco da Cunha e da Urlândia. Mas o maior desafio nesse trecho é fazer as mais de 100 desapropriações e remoções de imóveis ou parte de terrenos para pavimentar alguns trechos da duplicação. A expectativa é ingressar com as primeiras ações na Justiça neste 2º semestre - isso já foi previsto anteriormente, mas acabou sendo adiado.

Ainda no lote 2, será preciso reformar as pontes dos arroios Cadena, Ferreira e Taquara, que ficam nas pistas atuais, instalar a iluminação e construir duas passarelas.

Lote 1 - Trevos do Castelinho ao da Uglione

Terraplenagem100%

Pavimentação80%

Passarela Bairro Floresta46%

Acesso ao Cerrito86%

Viaduto Rodoviária96%

Duque de Caxias98%

Trevo da Uglione7%

Iluminação88%

Lote 2 - Trevos da Uglione até a sede da Ulbra

Terraplenagem 85%

Pavimentação30%

Passagem inferior do Bairro Urlândia4%

Nova ponte do Cadena99%

Viaduto do cruzamento com a Faixa de Rosário79%

Viaduto Santa Marta45%

Viaduto Tancredo Neves87%

Nova ponte do Arroio Ferreira (perto da Ulbra)99%

Nova Ponte Arroio Taquara (perto da Ulbra)99%

Iluminação12%

Fonte: Diário de Santa Maria

Notícias em Destaque
Notícias Recentes
Arquivo Mensal
Pesquisa por tags
Sigam-nos
  • Preto Ícone Google+
  • Instagram Social Icon

© 2019  Gestão Ambiental BR-158/287-RS Travessia Urbana de Santa Maria | Desenvolvido por @InnovatorDesign