Com liberação de R$ 23 milhões, obras da Travessia Urbana voltarão a acelerar

Depois de quase cinco meses de atraso, o governo federal liberou ontem R$ 23 milhões para a duplicação da Travessia Urbana de Santa Maria. Com isso, as obras, que estavam em ritmo bem lento, devem voltar a ter maior agilidade, com mais operários e máquinas. A previsão inicial era que fossem liberados R$ 38 milhões, mas segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), o Orçamento da União teve uma redução para R$ 33 milhões. Como só foram liberados pouco mais de R$ 23 milhões agora, ainda não há certeza se os R$ 10 milhões que faltarão virão no segundo semestre ou não.




Para o lote 1, que compreende o viaduto da Uglione, serão destinados R$ 7,8 milhões, o que permitirá a continuidade das obras da trincheira (com pistas escavadas abaixo do nível do solo), que permitirão o trânsito no sentido Júlio de Castilhos-São Sepé e vice-versa, sem necessidade de parar. Também serão acelerados os trabalhos de um pequeno viaduto que ficará em cima da trincheira e servirá para o fluxo na rotatória da Uglione. Uma parte da verba será usada para o segundo grande viaduto na Uglione, mas o prosseguimento desses trabalhos depende da conclusão de parte das obras da trincheira e do viaduto pequeno da rotatória. Diante dessas etapas e da incerteza sobre vinda de novas verbas, o Dnit ainda não tem uma data para concluir e liberar o segundo viaduto da Uglione, que fará o trânsito no sentido São Pedro do Sul-Júlio de Castilhos.


Ainda de acordo com o Dnit, R$ 14,1 milhões foram destinados para o lote 2, que vai da reta da Urlândia (perto da Uglione) até a ponte do Arroio Taquara (perto da Ulbra). Nesse trecho, a obra será concentrada na conclusão da passagem inferior da Rua Capitão Vasco da Cunha com a finalidade de ter trânsito em pista dupla no segmento entre o Patronato e a Cohab Santa Marta, uma vez que a ponte do Cadena está pronta, faltando apenas acabamentos e sinalização - ali, o tráfego está passando hoje nas duas pistas da ponte nova, e a ponte antiga foi demolida e reconstruída, só faltando detalhes para que o tráfego seja liberado nas quatro pistas.





O Dnit informa ainda que também serão priorizadas ações no entorno do viaduto da Santa Marta, com conclusão de rampas, vias laterais, ligação com a Avenida Brasil, acesso ao Hospital Regional e rotatória na parte inferior do viaduto. Isso será possível porque, dos 20 remoções de casas da faixa de domínio, nove já foram feitas, e 11 estão na fase de registro em cartório das moradias compradas para os moradores. A ideia é liberar tráfego de veículos em pelo menos um dos lados do viaduto após essas ações. Isso deve ser concluído nos próximos meses, durante o segundo semestre. Dessa forma, a tendência é que sejam liberadas as quatro pistas do Patronato até o viaduto da Santa Marta.



O Dnit também planeja, em breve, construir um desvio lateral no acesso à Urlândia para desviar o tráfego e permitir o início da construção da passagem inferior (pequeno túnel) para tráfego de carros e pedestres para a Urlândia, por baixo da rodovia. Dos R$ 23 milhões, uma pequena parte da verba é destinada à gestão ambiental e à supervisão da obra.


DAQUI A UM ANO


Atualmente, a Travessia Urbana está cerca de 90% concluída. Anteriormente, a previsão era finalizar a obra até dezembro deste ano. Porém, com essa demora de quase meio ano para a liberação de verbas e o ritmo lento dos trabalhos, a atual projeção do Dnit é que a duplicação esteja 100% pronta somente no final do primeiro semestre de 2022. Com isso, as obras, que iniciaram em 16 de dezembro de 2014 e deveriam estar prontas em 3 anos, devem levar 7 anos e meio para serem finalizadas.


Fonte: Diário de Santa Maria


Notícias em Destaque
Notícias Recentes