DNIT trabalha para a preservação da biodiversidade no entorno das obras da Travessia Urbana de Santa

Reduzir, minimizar e quando necessário compensar os possíveis impactos que as obras de duplicação da BR158/287/RS possam causar na Flora e na Fauna são objetivos da Gestão Ambiental das obras da Travessia Urbana de Santa Maria –RS. Para garantir a preservação da Biodiversidade local, a Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/RS), por meio da Unidade Local de Santa Maria-RS, executa o Programa de Controle de Supressão da Vegetação e o Programa de Proteção à Flora. Os programas seguem diretrizes estipulada pelo Plano Básico Ambiental (PBA) do empreendimento.


O Programa de Comunicação Social, que também executado pela gestora ambiental do empreendimento, apresenta a seguir cada programa e suas características. Programa de Controle e Supressão da Vegetação


Programa de Controle e Supressão da Vegetação


Uma das primeiras etapas no processo de duplicação de uma rodovia é a supressão dos espécimes vegetais/arbóreos existentes na faixa de domínio e que, de certa forma, implica em impactos sobre os meios biótico, físico e antrópico, que são ambientes de grande importância ecológica.




Principais objetivos do PCSV:


Garantir que somente será suprimida a vegetação necessária e em conformidade com a autorização emitida pelo órgão Licenciador, dentro da Faixa de Domínio do empreendimento;


Orientar e conduzir a atividade de supressão, reduzindo os riscos aos trabalhadores, usuários da rodovia e lindeiros, durante o corte;

Minimizar os impactos diretos sobre a Flora, Fauna, solo e recursos hídricos


Garantir o destino correto dos resíduos e material lenhoso oriundos da Supressão



Ainda, a Equipe de Gestão Ambiental destaca que será executada a Compensação e Reposição Florestal Obrigatória, referente à Supressão total, por meio de plantio de Mudas de espécies Nativas. Programa de Proteção à Flora

É executado simultaneamente com o Programa de Controle de Supressão da vegetação garantindo desde o Resgate de Germoplasma, a marcação e o transplante de indivíduos imune ao corte, até o afugentamento e resgate de Fauna, como a retirada de ninhos e ninhegos.

O Programa de Proteção à Flora é integrado por 2 (dois) subprogramas:

Subprograma de Transplante Florestal: no qual realiza-se o transplante de espécies ameaçadas de extinção e/ou imunes ao corte, como:

 Butiazeiro (Butia witeckii)  Figueira (Ficus Luschnathiana)  Corticeira-do-banhado (Erythrina cristagalli)  Araucária (Araucaria angustifolia)  Jerivá (Syagrus romanzoffiana)



Subprograma de Resgate de Germoplasma e Epífitas: garante o resgate e a realocação de espécies epifíticas, como:  Cravo-do-mato (Tillandsia sp.)  Bromélia (Billbergia nutans)  Cacto-macarrão (Rhipsalis bacífera)  Orquídea (Acianthera pubescens)  Maracujá (Passiflora elegans)




Coleta de sementes: é realizada nas matrizes arbóreas presentes na faixa de domínio, com o intuito de intuito de manter a biodiversidade



Notícias em Destaque
Notícias Recentes
Arquivo Mensal
Pesquisa por tags
Sigam-nos
  • Preto Ícone Google+
  • Instagram Social Icon